Este é um tema um tanto quanto específico, o qual comecei a estudar e desenvolver partindo da pergunta: quantas calorias podemos queimar numa aula de dança do ventre? Como nossa energia é utilizada, e será que é utilizada de maneira coerente com nossos objetivos? Antes de te responder essas questões, preciso apresentar termos fundamentais para discutirmos este assunto:
* Fisiologia é o estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, e dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
* Bioenergética é Energia: “Capacidade que um corpo, uma substância ou um sistema físico tem de realizar trabalho.” O fornecimento de energia acontece a partir de uma solicitação do músculo em contração. A energia proveniente do alimento passa pelo processo de degradação através da digestão e é armazenada na forma de substratos para então poder ser utilizada.
* Carboidrato se transforma em Glicogênio – Os carboidratos, quebrados em forma de moléculas de glicose são armazenados em forma de glicogênio no fígado e músculos. O estoque de glicogênio é o primeiro a ser utilizado como fonte de energia, durante a atividade física.
* Gordura se transforma em Triglicerídeos e Ácidos Graxos – Triglicérides, colesterol e outros ácidos graxos essenciais armazenam energia, nos isolam e protegem os nossos órgãos vitais. As gorduras atuam como mensageiros, ajudando as proteínas a fazerem seu trabalho.
* Proteína se transforma em Aminoácidos – Elas desempenham um papel muito importante em nosso organismo, pois fornecem material tanto para a construção como para a manutenção de todos os nossos órgãos e tecidos. Possui função construtora e reparadora. Elas também participam da formação de hormônios, enzimas e anticorpos.
Sistemas energéticos: Os responsáveis pela determinação do substrato a ser utilizado durante a execução do exercício são a sua duração e intensidade. Apresentarei aqui dois destes sistemas: Sistema anaeróbio; Sistema aeróbio.
* Sistema Anaeróbio: Quando existe a transferência de energia sem a necessidade de oxigênio para quebrar as moléculas de glicogênio. Os exercícios enquadrados nesse sistema são aqueles de alta intensidade, e a duração é de apenas alguns minutos, como em exercícios de musculação, em lutas, e resistência localizada. Check horny nudecamshd com.
* Sistema Aeróbio: Aqui o oxigênio é peça chave para que a quebra dos substratos seja feita e absorvida por nosso organismo como fonte de energia. Neste momento, a lipólise (quebra da gordura) é ativada. Os fatores responsáveis pela estimulação da lipólise são a presença de oxigênio e alto nível de catabolismo (quebra das moléculas) de carboidratos.
Seria possível escrever por horas a fio, discutindo as possibilidades fisiológicas do nosso corpo, porém vamos aplicar estes conceitos à nossa arte. Qual é o tipo de aula de dança que você dá, ou faz? Você ou suas alunas saem ofegantes? Saem sentindo a musculatura fadigada? Exigem contração muscular e relaxamento no processo de movimentação?
Nossa dança é tão versátil, cheia de nuances, e não poderia ser diferente com a fisiologia aplicada a ela. Perceba que, quando estamos em fases de decorar coreografias, e dançamos várias vezes seguidas (dependendo também do tipo de coreografia), saímos mais ofegantes, isso significa que o oxigênio foi altamente requisitado para quebrar as moléculas de gordura e assim liberar energia para que continuássemos aquela atividade – sistema aeróbio ativado. Quando a aula é extremamente técnica e ficamos repetindo várias vezes um movimento, a musculatura passa por momentos de contração e relaxamento, não é necessária uma alta demanda de oxigênio para que esta ação seja executada, o glicogênio armazenado naquela musculatura que está sendo trabalhada, irá garantir a liberação de energia – ativamos assim o sistema anaeróbio. Quando dançamos uma música de rotina clássica, vários momentos são apresentados e os sistemas vão trabalhando em conjunto, existem os trechos de grandes deslocamentos, exigindo mais fôlego, existem momentos de eixo, tendo mais contração, e nesse zigzag dançamos por mais de 8 minutos.
Sabendo disso, seria incoerente afirmar que aulas de dança do ventre queimam muitas calorias. Nós gastamos energia, de maneiras diferenciadas de acordo com a proposta da aula ou do show daquele dia. Se eu quero queimar calorias ativando o sistema aeróbio, eu preciso sentir essa alta demanda de oxigênio entrando no meu corpo, para que a lipólise aconteça; mas, para que exista uma queima significativa, primeiramente o seu corpo irá esgotar as reservas de glicogênio (como descrito acima, com o catabolismo) e depois disso as moléculas de gordura serão queimadas. Até isso acontecer, você leva no mínimo 30 minutos, num ritmo de movimentação constante.
Finalizo esta matéria contando uma curiosidade para vocês… o desenvolvimento do método BellyFitness foi pautado inteirinho em cima destes princípios, já que não é coerente afirmar que aulas de dança do ventre emagrecem. O ideal seria se movimentar de maneira organizada e projetada para alcançar um objetivo no final – emagrecer, tonificar, dentre outros. Então, estabeleça seu objetivo, organize e planeje suas aulas e saiba exatamente como será a resposta corporal ao longo da atividade proposta.
Promova saúde, promova bem-estar e promova arte, sempre com muito conceito, responsabilidade e conhecimento.

 

Saúde

Por Bruna Nacif

Foto shutterstock